Guia para quem quer mudar de visual

Quem nunca começou o ano a dizer “desta é que é, vou mudar”. A mudança pode sempre querer dizer coisas distintas e o grande problema está em sabermos explicar aquilo que queremos.

 

Se falarmos de uma mudança de hairstyle, as opções são (quase) infinitas e podem ir desde a necessidade de alterar o corte, descobrir novas técnicas de styling ou apostar numa coloração completamente diferente.

O número de possibilidades faz com que seja difícil explicar concretamente aquilo que queremos, tendo medo de errar ou não sabendo sequer por onde começar. Há truques e dicas simples para que este processo não se transforme em algo doloroso ou prejudicial. Mudar é bom, acredite!

 

# Escolha um hairstylist em quem confie e marque uma visita.

 

Seja qual for a mudança, só pode correr às mil maravilhas se conversar muito com um hairstylist que seja da sua confiança. Afinal, está a colocar o seu visual nas mãos de outra pessoa. Se ainda não tem O seu profissional, está na hora de começar a procurá-lo. Pergunte a amigos, colegas ou família. Peça recomendações e, numa sugestão um pouco mais arriscada, pergunte a alguém na rua de quem ficou fã só de olhar uma primeira vez.

 

 

https://www.instagram.com/p/Bq5aDViAz3T

 

 

# Saiba quais são os seus limites.

 

É (mesmo, mesmo, mesmo) muito importante que saiba do que gosta e onde estão os seus limites. Nem todos estamos dispostos ao mesmo tipo de mudança e nem todos arriscamos da mesma forma. Pesquise fotografias, guarde-as e leve-as consigo quando falar com o profissional. É importante dar alguma liberdade ao hairstylist – até porque não há duas pessoas iguais – mas o mais importante é que seja aquilo que gosta. 

 

 

# Se o objetivo for uma coloração diferente, lembre-se do que isso implica.

 

A verdade é que, muitas vezes, queremos muito algo mas não nos lembramos do que isso envolve em termos de cuidado diário. E, às vezes, não nos lembramos também que a nossa vida não conjuga na perfeição com a mudança que queremos. 

Mas antes disso, lembre-se de outros fatores: que cor pretende? Se for, por exemplo, vermelho… de que tonalidade de vermelho estamos a falar? Se for, por exemplo, rosa. Está preparada para o processo de descolorar o seu tom natural? Até que ponto isto a assusta?

E, depois de tudo, sabe que cuidados precisa de ter? É preciso hidratar, encontrar os produtos certos para que a cor fique viçosa durante mais tempo, visitar o salão regularmente. O budget para toda esta mudança está de acordo com as suas expetativas?

Tudo ok? Então, prossiga com a mudança de sonho!

 

 

https://www.instagram.com/p/BqvF04_hXJ0

 

 

# Está preparada para o cabelo curto?

 

Muitas das mudanças passam por cortar o cabelo. Bem, cortar mais do que as pontas. Para quem está habituado a um cabelo comprido, mesmo depois de ver muitas fotografias e decidir que “desta vez é que é!”, a mudança pode causar ansiedade. Ninguém nega que os cortes curtos são sexy, femininos, românticos e cada vez mais adorados. Mas o melhor é mesmo discutir algumas ideias com o seu hairstylist, perceber qual a opção certa para o seu tipo de rosto e tipo de cabelo.

Ah, e não se preocupe, uma mudança gradual pode sempre ser uma opção a considerar. Vá retirando comprimento ao cabelo até estar completamente confortável. 

 

 

View this post on Instagram

Left my heart in Paris

A post shared by Chloe Miles (@chloehelenmiles) on

 

 

# Não há duas pessoas iguais. E está tudo bem com isso.

 

Quando procuramos muito pelo penteado que desejamos ou a cor de eleição, vemos isso refletido em imagens que pertencem a outras pessoas. Por muito que queiramos ou por muito que o nosso hairstylist consiga responder ao desafio lançado, é difícil (para não dizer impossível) ficar igual. Seja porque o que viu é a versão “acabada de sair do styling”, seja porque os seus fios de cabelo não são iguais ou porque não é tão liso ou tão encaracolado. Não vale a pena entrar num processo de frustração e – acredite! – a culpa não é de ninguém. A mudança também implica conhecer o seu cabelo e saber aceitá-lo com todas as suas particularidades.