Liberdade: os penteados que marcaram a revolução

 

 

E se tivéssemos de imaginar… qual seria o penteado mais usado? O corte de cabelo que marcou a revolução?

Fomos à procura das respostas.

 

45 anos depois do 25 de Abril, celebramos esta data como símbolo da liberdade. Liberdade de expressão, uma liberdade outrora condicionada por organismos de uma ditadura marcada pela opressão.

Os anos 70 foram palco de grandes movimentos e nichos sociais como sejam os punks ou mesmo o movimento Flower Power que continuava no seu auge. A Europa bebia desta cultura e deste espírito.

Ao mesmo tempo, as mulheres conquistavam o seu lugar e a moda ganhava forma como modo de expressão.

Em Portugal, pelo contrário, a ditadura do Estado Novo era marcada pela opressão e pelo conservadorismo, o que também se reflectia na moda – fosse na roupa ou no hairstyling.

Actrizes como Sophia Loren, Elizabeth Taylor e Farrah Fawcett marcavam aquela geração e os penteados eram uma fonte de inspiração.

 

 

Long Long Hair

 

Os cabelos compridos com origem no movimento hippie e repletos de acessórios como lenços ou headbands marcaram os anos 70. Com início ainda nos anos 60, este movimento oriundo dos Estados Unidos celebrava a liberdade, a aceitação e a paz. As flores eram uma presença constante tal como aconteceu no estilo Boho também inspirado nalgumas tendências deste movimento Hippie. A filosofia despreocupada aproximava os cabelos de umas ondas naturais e um comprimento longo

 

 

Volume Máximo

 

Se já falássemos em influencers na altura, Farrah Fawcett seria com toda a certeza uma das principais a ditar tendências. Pelo menos no que diz respeito aos cabelos, o brushing volumoso de Farrah fez sucesso um pouco por todo o Mundo. A imagem de marca da actriz dos Anjos de Charlie era o corte escalado com franja e um farto cabelo. Para finalizar, as pontas viradas para fora e todo o penteado trabalhado com a escova de enrolar.

 

 

 

https://www.instagram.com/p/BtL5GkhApxM/

 

 

 

Curly Mood

 

Caracóis e ondas eram outra das tendências nos anos 70, falássemos de cabelos longos ou cortes médios. O shag encaracolado foi um verdadeiro ícone de moda, um penteado muito comum em cortes como bob que se destacava ainda pela franja ondulada.

 

 

 

https://www.instagram.com/p/Bp4v-DhAIDD/

 

 

 

Loiros e mais loiros

 

Os anos 70 trouxeram para a ribalta toda uma panóplia de opções de coloração capilar, no entanto, o loiro continuou a ser ainda durante muitos anos o tom de eleição para todas as mulheres. Um loiro que foi evoluindo de Betty Grable e Marilyn Monroe, passando por Brigitte Bardit e uma vez mais Farrah Fawcett. O sonho de ser loira era agora uma realidade, fosse platinado ou em tons de mel.

As blondies estavam a ganhar lugar e a tendência dura até aos dias de hoje.

 

 

 

 

 

 

Se os cabelos são uma extensão da nossa personalidade, abrace a mudança. Afinal de contas, é livre de o fazer, ou melhor, somos livres.

E que bom que é ser livre!